Afinal, o quê é patrimônio?

Iniciamos 2019 com vários desafios. E isto é ótimo porque nos faz evoluir.

A virada do ano em Porto Alegre, mexeu com seus cidadãos quando foi colocado um banner de propaganda do patrocinador da Festa da Virada, em um dos símbolos históricos da cidade, a torre da Usina do Gasômetro.

Não vou entrar na análise das questões técnicas vindas de todos os órgãos implicados na questão, até mesmo porque isto já foi exaustivamente explorado pelos veículos de comunicação. Mas sim naquilo que mais me chamou a atenção neste episódio, que foram as repercussões, vinda dos cidadãos.

A grande maioria ao fazerem seus comentários nas reportagens veiculadas, apoiaram a colocação da faixa e criticaram a polêmica, chamando de ‘mimimi’.

O assunto ‘tombamento’ misturou-se e mais uma enxurrada de críticas foram derramadas como numa onde de desabafo por parte dos cidadãos. Não ouso em momento algum, dizer que estas pessoas representam o todo, mas também não me esquivo de tomar este episódio como algo muito representativo. Afinal o discurso dos órgãos ligados a preservação e a resposta dos cidadãos foi tão discrepante que só posso pensar no quão distante está as políticas de preservação daqueles a quem deveria interessar a preservação da memória.

Que abismo é este e quais suas origens?

Me faço estas perguntas porque a preservação da memória é algo natural a todos nós, pois faz parte do que somos e é através destas memórias que construímos o nosso presente, nos construímos como pessoas. E se é natural porque este distanciamento, este embate constante entre os preservacionistas e a própria população.

Não me basta pensar que o interesse financeiro é quem dita as regras e por isto este quadro de descaso. Não! definitivamente seria muito simplista justificar desta forma.

Acho que esta reflexão deve fazer parte de todos nós, pois a unidade faz o todo.

Está para ser votado texto para regulamentação do Patrimônio Cultural de Bens Imóveis da Capital, o projeto de Lei nº 7/18 referente a nova Lei do Inventário da cidade. Isto já faz parte de uma reflexão sobre a identificação da população com as legislações vigentes.

Vamos acompanhar!


Fonte: https://www.rbsdirect.com.br/imagesrc/24923648.jpg?w=700
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: