Consolidação estrutural- Século XIX

Sejam todos bem vindos!!

O post a seguir, de autoria do  engenheiro civil Bruno de Marantes Sanchez, é resultado de mais uma parceria bem sucedida, entre a arquitetura e a engenharia civil.  Trata-se da recuperação estrutural de uma edificação residencial do século XIX em ruínas, construída sob a técnica da alvenaria estrutural, mista de pedras e tijolos argamassados em barro, localizada no centro histórico de Porto Alegre.

Em novembro de 2016, iniciamos os trabalhos com o objetivo de estabilizar a casa. A sua
construção, do início do seculo XIX, possui tipologia da época como a fachada no alinhamento da rua e laterais geminadas. A técnica construtiva é de alvenaria auto portante com vedações usando técnica mista. A alvenaria da fachada e fundos, foi construída em alvenaria estrutural de tijolo com argamassa de barro, por sua vez as paredes laterais foram erguidas com técnica mista de pedras e tijolo também argamassados com barro. Como vestígio foi observado, no piso superior, foi  paredes internas de estuque.

A situação da casa era de abandono e por conseqüência, degradação de muitos elementos estruturais. Através de análise podemos afirmar que algumas patologias foram causadas por vandalismo, cupins, porém a sua grande maioria foi resultado da presença de água.

A constante umidade nas alvenarias ocasionou a queda do reboco e propiciou a proliferação de micro e macro organismos. Vegetações superiores, árvores e arbustos, se desenvolveram na terra das argamassas hidratadas por  umidade continuada. A pressão exercida pelas raízes entre os tijolos foi a causa para a ruptura e conseqüente desabamento de parte da parede que faz divisa com a edificação vizinha, bem como um dos fatores que levaram ao desaprumo da fachada principal.

DSCN1743

O péssimo estado de conservação da calha foi determinante para a deterioração da fachada. Localizada atrás da platibanda, a mesma não tinha mais fundo, levando a ter água corrente em 2/3 da fachada a cada chuva, com isso a ligação dos tijolos com a argamassa de barro foi se desfazendo a ponto de parte da fachada perder os engastes. 2/3 do segundo andar da fachada, estavam em torno de 16 cm fora de prumo, sua estabilidade era garantida pelo escoramento de dois contrafortes e madeiramento previamente instalados. Em alguns locais a alvenaria já estava completamente sem argamassa.

 

 

Duas vergas do andar superior foram desmanchadas e refeitas conforme a técnica da época, servindo de sustentação para a platibanda.

 

Internamente se constatou a necessidade de construir uma cinta de amarração em todo o perímetro da casa, e a fachada frontal foi estruturada com dois pilares entre as janelas.

 

As esquadrias foram completamente restauradas, sendo algumas delas confeccionadas através do aproveitamento da  madeira proveniente da própria edificação. As paredes receberam amarração, reboco e pintura de cal.

IMG_0454 (1)

EQUIPE TÉCNICA:

Cliente: Coordenação da Memória Cultural – SMC – PMPA

Responsável Técnico: Eng. Bruno M. Sanchez

Consultoria: Arq. Verônica Di Benedetti

Execução: Elo Construções e Instalações LTDA.

Marcenaria: Paulo Roberto dos Santos

Obra: Rua Riachuelo, 645 – Porto Alegre/RS

Área do terreno: 280 m²

Área da casa: 119 m²

Período: 09/11/2016  até 03/06/2017

 

 

 

 

 

Anúncios

Um comentário em “Consolidação estrutural- Século XIX

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: